Ar condicionado
Arrefecimento
Bateria
Bobina impulsora
Bomba de combustível
Catalisador
Combustível
Economia de combustível
Freios
Gasolina adulterada
Parte elétrica
Pneus
Respiro e bomba de combustível do Monza
Revisão geral
Sistema de ignição
Suspensão
Sistema de ignição


Bomba de Combustível

A bomba elétrica tem como função aspirar o combustível contido no tanque e fornecê-lo sob pressão a um tubo distribuidor, onde estão fixadas as válvulas de injeção.

Invariavelmente, a bomba fornece mais combustível do que o necessário para o sistema, sendo que o excedente é devolvido ao tanque através de um retorno existente no regulador de pressão que, na maioria dos veículos, também está montado no tubo distribuidor.
A bomba de combustível pode estar montada dentro ou fora do tanque, sendo chamada de bomba “in tank” e “in line”, respectivamente.
A bomba de combustível “in tank” possui um pré-filtro em sua extremidade, que filtra o combustível antes da passagem pela bomba, impedindo que possíveis impurezas contidas no tanque possam comprometer o funcionamento da mesma. O pré-filtro da bomba de combustível é, um componente fundamental para assegurar o perfeito funcionamento do circuito.

Portanto, é recomendável realizar verificações periódicas para garantir o bom funcionamento da bomba, conforme indicado a seguir. Importante: Para assegurar o perfeito funcionamento da bomba de combustível, o pré-filtro deve ser substituído (preventivamente) a cada 30.000 km e obrigatoriamente trocado quando a bomba de combustível for substituída.

Também é recomendável realizar uma inspeção interna no tanque de combustível para avaliar o seu estado em relação a possíveis impurezas, e ainda trocar o filtro de combustível conforme recomendação do fabricante.

Teste da bomba de combustível

1 ) Verifique a tensão de alimentação da bomba de combustível.

Meça com um voltímetro, através do conector da bomba (durante a partida), a tensão de alimentação da bomba de combustível; o valor deve ser maior ou igual a 11,5V, caso este valor não seja encontrado, verifique:
- se existe rompimento nos fios do chicote da bomba ou nos fios de ligação do relé;
- possível curto-circuito nos fios do chicote da bomba.

2 ) Verifique a pressão de alimentação.

Com o manômetro instalado no circuito de entrada do combustível e com o motor em marcha lenta, verifique a pressão na linha de combustível.

3 ) Verifique a vazão da bomba de combustível.

Retire o relé da bomba de combustível; faça uma ligação (ponte) entre os bornes 87 e 30 no soquete do relé; em 30 segundos, deveremos obter, no mínimo, 700 ml de vazão com uma pressão de 3 bar no sistema. O teste de vazão deve ser feito na linha de retorno do sistema; caso não sejam encontrados os valores do teste, substitua a bomba.

Importante: É necessário ressaltar que as bombas podem apresentar diferentes vazões, por isso recomenda-se antes de testá-las, verifique sua correta vazão através do catálogo de aplicação.

Rotor e Tampa do Distribuidor de Ignição

Nos sistemas de ignição, o distribuidor (através do rotor) direciona, para a vela de ignição, a alta tensão gerada pela bobina de ignição. A tampa do distribuidor deve isolar adequadamente, evitando fugas e perdas de alta tensão, garantindo o correto funcionamento do motor.

Dicas de manutenção

Durante os períodos de chuva, os sistemas de ignição sem manutenção adequada apresentam problemas, muitas vezes impedindo o funcionamento do motor. Isto acontece devido ao aumento da umidade, que facilita a ocorrência de fugas de alta tensão.

Rotores

Alguns rotores possuem uma resistência interna para supressão de interferências eletromagnéticas. Estas interferências podem prejudicar o funcionamento de rádios (ruídos), controle de injeção eletrônica e outros equipamentos. Recomendamos que a cada 10.000 km, ou ao trocar os cabos de ignição ou a tampa do distribuidor, seja verificado o estado geral dos contatos do rotor e caso o mesmo possua resistência, deve-se medir os valores da resistência conforme catálogo de aplicação.

Tampas

As tampas são fabricadas em materiais especiais para garantir a resistência e isolação.

- Não utilize produtos químicos para limpeza da tampa, eles deixam resíduos que podem facilitar a fuga de tensão. Caso ache necessário limpá-la, utilize pano seco e limpo;
- Quando lavar o motor e houver entrada de água na tampa, não limpe com gasolina. È recomendável utilizar um pano seco e limpo e deixar secando ao ar livre;
- Não utilize cabos de ignição inadequados ou com vedações (chupeta) folgadas. Isto facilita o acúmulo de umidade e sujeira, possibilitando fugas de alta tensão.
Verifique se a conexão elétrica está correta, pois folgas geram oxidação dos terminais; - Na troca da tampa é recomendado trocar o rotor para aumentar a durabilidade dos contatos. Verifique também os cabos de ignição.
- Não coloque fitas, colas, silicones etc. para tentar reparar tampas. Estes materiais podem soltar e cair dentro do distribuidor, danificando o mesmo;
- Verifique se a tampa está corretamente encaixada, pois se ela sair da posição correta, baterá no distribuidor e quebrará.
- Evite choques mecânicos (quedas e batidas). Eles podem causar quebras ou trincas nas tampas.